Programa de Eletrificação Rural

O que é o Programa de Eletrificação Rural e quais as metas definidas para o estado do Amazonas?

O que é o Programa de Eletrificação Rural e quais as metas definidas para o estado do Amazonas?

O Programa Nacional de Eletrificação Rural foi instituído pelo Decreto nº 4.873, de 11 de novembro de 2003, e foi destinado a propiciar, até o ano de 2008, o atendimento em energia elétrica à parcela da população do meio rural brasileiro que ainda não tivesse acesso a esse serviço público.

O Programa foi concebido como instrumento de desenvolvimento e inclusão social, pois, de acordo com o Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, em 2000 existiam dois milhões de domicílios rurais não atendidos pela Prestação dos Serviços de Energia Elétrica. Ou seja, aproximadamente dez milhões de brasileiros viviam, no meio rural, sem acesso a esse Serviço Público, sendo que cerca de noventa por cento dessas famílias possuíam renda inferior a três salários mínimos.

O Decreto no 7.520, de 8 de julho de 2011, instituiu o Programa para o período de 2011 a 2014, sendo prorrogado pelo Decreto no 8.387, de 30 de dezembro de 2014, até o ano de 2018 e mais recentemente prorrogado até o ano de 2022, conforme Decreto 9.357 de 27 de Abril de 2018.

No Estado do Amazonas, a implantação do programa na área de concessão da Amazonas Energia teve por meta prover acesso à energia elétrica a 144.093 novos domicílios no meio rural baseado no levantamento do IBGE através do Censo 2000 dos domicílios sem energia elétrica na zona rural do Estado do Amazonas.

 

Formas de atuação

De acordo com art. 3º. do Decreto Nº. 6.442/2008, o Programa será coordenado pelo Ministério de Minas e Energia – MME e operacionalizado com a participação das Centrais Elétricas Brasileiras S.A. – Eletrobras e das empresas que compõem o Sistema ELETROBRAS.

 

Tipificação de recursos

Os recursos necessários ao desenvolvimento do Programa vêm do Governo Federal, por meio da CDE, dos Agentes Executores – Concessionárias e Permissionárias de Distribuição de Energia Elétrica, por meio de Recursos Próprios ou oriundos de Financiamento contraído junto à Caixa.

 

Critérios para definições de prioridade de atendimento:

O atendimento às demandas localizadas nas Áreas de Concessão ou Permissão de que tratam os §§ 1o e 2o, art. 1o, do Decreto no 7.520, de 8 de julho de 2011, deverá atender as Prioridades na Ordem apresentada a seguir:

I – domicílios a serem beneficiados pelo Plano Brasil Sem Miséria;

II – domicílios localizados nos Municípios participantes do Programa Territórios da Cidadania;

III – domicílios localizados em assentamentos rurais, comunidades indígenas, quilombolas e outras comunidades localizadas em reservas extrativistas ou em Áreas de Empreendimentos de Geração ou Transmissão de Energia Elétrica, cuja responsabilidade não seja do respectivo Concessionário;

IV – escolas, postos de saúde e poços de água comunitários; e

V – demais pedidos de energia elétrica que não atendam a nenhuma das condições anteriores, desde que estejam dentro das premissas do LPT e obedeçam à ordem de priorização elencada neste item.​

 

Comitê Gestor Estadual

O CGEU é integrado pelo Ministério de Minas e Energia, agência reguladora estadual, concessionária distribuidora de energia elétrica, governo estadual, prefeituras e representantes da sociedade civil. Este comitê acompanhará de perto o andamento do Programa e o cumprimento das metas estadual de universalização. 

 

Metodologia

A Concessionária recebe do Comitê Gestor Estadual as demandas das solicitações de atendimentos que são analisadas e distribuídas aos técnicos para realização de visitas in loco. Os técnicos fazem os levantamentos do possível atendimento. Os dados dos levantamentos são encaminhados para a Área de Planejamento e Engenharia para elaboração de Projetos, Orçamentos e Solicitação dos pedidos de Financiamentos Junto a Eletrobras e MME que definem os Contratos de Financiamento de Subvenção – ECFS ou tranches de atendimentos, atualmente chamado de Contrato Específico de Operacionalização – ECO.

O Programa atualmente é gerenciado pelo Departamento de Universalização– DIL, vinculado à Diretoria de Distribuição do Interior – DI, composto pela equipe da Amazonas Energia.

 

Como participar
  • Os interessados podem se dirigir a Agência da Amazonas Energia localizada na Av. Efigênio Salles, 310 – Parque Dez de Novembro CEP: 69055-736 – Manaus – Am, ou  ao atendimento ao cliente na 10 de julho, ou ainda realizar seu pedido de instalação  pelo site, no endereço: http://www.amazonasenergia.com/scer/

    Esta solicitação será analisada pelo Comitê Gestor Estadual de Universalização e atendida de acordo com as prioridades estabelecidas no manual de operacionalização do Programa de Eletrificação Rural.

Realizações do Programa
  • ​​Dados Gerais

    Consumidores

    129.455

    Postes

    272.473

    ​Transformadores

    61.058

    KVA

    330.481

    Extensão (km)

    24.441

    Valor R$

    1.082.841.380,07

 

Informações ou Sugestões

Informações adicionais, sugestões, dúvidas ou críticas para melhorar ainda mais as informações postas na Internet referente ao Programa de Eletrificação Rural, entre em contato com o Departamento de Universalização– pelo telefone (92) 2126-9173, ou no e-mail dil.todos@amazonasenergia.com

 

 

 

Atualizado em 17/06/2019


Amazonas Energia S/A